Browse Category: Sem categoria

48. Boys Before Friends série “baseada” em Hana Yori Dango

Vocês já perceberam que eu gosto sempre de polemizar por aqui. Bom, o post de hoje não será diferente. Só assisti até o 6° episódio de Boys Before Friends, disponíveis no Viki, mas GENTE PARA TUDO.

A minha reação é a mesma que abaixo: TENSA

WTF.

boys before friends

Devia ser proibido. Isso de fazer divulgação, dizer que é “baseado” em tal mangá/anime e depois desconfigurar a história completamente. COMPLETAMENTE. Principalmente quando se promete uma coisa “baseada” na outra é necessário colocar os créditos no início, isso eu também não vi acontecer nesse caso.

É uma séria produzida por fãs segundo o próprio site da série. Tudo bem, porém não. Não façam. Sair completamente da história, sinceramente não acho que é o que um fã faria. Está escrito no site deles: “Boys Before Friends é uma série produzida por fãs. Somos auto-financiados e precisamos da ajuda dos fãs para manter a série. Então, se você gosta de assistir, não deixe ser cancelado. Doe agora.”

boys-before-friends (1)

No about, eles dizem que é vagamente inspirada em Hana Yori Dango (aka Boys Over Flowers), mas que, vejam bem, NÃO É UM RECRIAÇÃO OU ADAPTAÇÃO, MAS SIM MA SÉRIE ORIGINAL”. Mas, fica a nossa humilde dúvida, ENTÃO POR QUE? ENTÃO POR QUE, PELOS CÉUS, DIVULGARAM ESSA MERDA COMO UMA SÉRIE BASEADA EM HANA YORI DANGO, POR QUE? POR QUE? POR QUE DIVULGARAM COMO “A VERSÃO AMERICANA” DE HANA YORI DANGO? Não acredito sinceramente que seja culpa da mídia.

Como assim gente? Nos primeiros episódios era claramente a história de Hana Yori Dango. Do terceiro em diante é que vira a “série original”.

boys before friends

PRIMEIRO. Já está na hora do pessoal saber o que é ADAPTAÇÃO, RECRIAÇÃO, SÉRIE ORIGINAL. Vamos ao dicionário:

ADAPTAÇÃO: Transposição de uma obra literária para o teatro, televisão, cinema etc. Arranjo, adequação de uma obra estrangeira que, além da tradução, implica modificações do texto original.

RECRIAÇÃO: Ato de criar de novo ou recriar. (Criar outra história com uma-garota-pobre-que-vai-para-uma-escola-de-ricos e tem 4 lindões idiotas que vão ficar no pé dela, nos lembra algo? Tudo bem que talvez coisa inspirada é completamente aceitável, mas teve a premissa)

ORIGINAL: Que parece produzir-se pela primeira vez; não copiado, não imitado. Que tem caráter próprio, que tem cunho novo e pessoal; que não segue modelo. (Se foi “vagamente” inspirado e tem fortes indícios – imitando mesmo – da outra história, então baby não é original)

boys before friends

Nós sabemos que desde sempre teve essa confusão e discussões por coisas adaptadas ou não. Que não se cria algo novo nunca é fato, mas acho que, assim como você pode acusar alguém de plágio por um determinado, digamos, limite do quanto se copiou é aí que começa a nascer as distinções entre adaptações, recriações e livre inspiração. Acredito que livre inspiração seja algo que desde o começo não tenha nada a ver com história a que se inspirou, mas que reteve traços e perfis de personagens, algum triângulo amoroso que recria uma situação mas que de certa forma tem outro fim, leva a outro enredo, onde você se lembra ou não da outra história.

Outra coisa comum são as “releituras ou recriações” onde parte da mesma premissa e tem outro fim, traz uma proposta nova para discussão. Adaptação é quando é bem “fiel” ao texto original, apresentando os mesmo nomes, as mesmas falas e modificando o menos possível. Realmente, adaptação não é. Mas, pecou por falar que era. Porque todo mundo vai ou foi assistir com os olhos condicionados a ver uma leitura americana de Hana Yori Dango.

boys before friends

Uma coisa comum também, mais entre os fãs de mangás e animes são fanfics. Histórias criadas por fãs (como os criadores de Boys Before Friends se denominaram) que são deturpadas – geralmente bastante – ao bel-prazer do escritor para outros fãs/leitores.

“Normalmente os fanfics costumam infringir as leis sobre direito autoral, já que utilizam personagens criados originalmente por terceiros. Com exceção de casos onde os personagens já tenham caído em domínio público, as histórias que utilizem personagens ainda sob copyright podem ser proibidas por seus criadores originais. Contudo, devido ao grande número de sites na internet bem como os altos custos de um processo judicial, geralmente esse tipo de criação literária é permitido devido ao seu conteúdo ser criado por fãs, que provavelmente consumiram o produto original e não têm o intuito de obter lucro.” (Wikipedia)

Dizem que a autora dos “Cinquenta tons de cinza” começou com fanfic de Crepúsculo. E coisas assim.

boys-over-flowers

boys-before-friends

SEGUNDO. Mas que droga de elenco é esse que MUDA, eu disse MUDA a cada episódio? Só a atriz principal foram três pessoas diferentes, daí eles continuam a chamar a pessoa pelo mesmo nome  – Makino é Zoey – e tipo todo episódio é uma Zoey diferente. Isso cansa. Todo episódio você tem que adivinhar quem é a principal.

As interpretações de todo esse elenco também foram horríveis (tudo bem eles não tinham dinheiro, etc, etc). No começo você tem uma “tentativa” de acompanhar a história de Hana Yori Dango (Boys Over Flowers). Mas, depois o roteirista no mínimo chutou o balde e começou a inventar uma história nada a ver com nada, porque já não era baseada em nada e também não tinha fundamento ou consistência nenhuma. Completamente superficial e altamente sofrível de se ver.

A pessoa tem que ter muita coragem para TENTAR fazer um remake de uma história aclamada no Japão e no mundo todo com tantos e tantos remakes incríveis, do Japão, da Coreia, de Taiwan e tentar competir com GRANDES produções quando na verdade não se sabe nem o básico de fazer uma adaptação. Senti uma profunda vergonha alheia. E a minha compaixão me obriga a ficar – um minuto de silêncio.

jessia jung tudo asfixia

Eu quase morria ao assistir os filmes adaptados dos livros de Jane Austen, prendendo a respiração mesmo, isso porque a autora tem livros incríveis e se, por algum momento, quem adapta não souber o que estiver fazendo estraga a coisa toda e deixa os “fãs” completamente mal-humorados. Estou mentindo? Dá um ódio terrível. Porque alguém idiota está ali desmerecendo, desvalorizando aquilo que você acha foda. Fora que é lógico que quem é fã vai ir atrás para ver.

Daí o negócio milhares e milhares de fãs no mundo inteiro e você chama todos eles para assistir essa merda. Isso é querer ser apedrejado em praça pública. As reações na internet são diversas e se vocês procurarem um pouquinho só o pessoal comentando, você cai na gargalhada. As coisas bem comentadas também é que eles são muito velhos para os papéis. Mas isso é nada perto do assassinato da história. Aqui e aqui alguns posts a respeito (em inglês).

boys before friends

É tão estou-aprendendo-a-escrever-roteiros-adaptados-e-a-atuar que até em Malhação você consegue ver em um nível mais alto. Eu já não desprezo mais Malhação depois de ter assistido isso. Tudo bem, Malhação não é comparação porque é produção paga etc, etc. Masssss.

É tudo péssimo, nem vou me prolongar demais. A iluminação, o cenário, as falas – escrotas -, a atuação, a falta de nexo, a falta de reação/sentimento torna tudo muito superficial, e depois começou a brotar personagens secundários – tipo a japonesa que nem sei o nome e nem sei o que ela faz ali, uma personagem inventada – que simplesmente vira o foco da história, se não me engano, no 4° e no 5° episódio. A história de Makino e Tsukasa Domyouji morre sem nenhum desenvolvimento já no 3° ou 4° episódio. Vira completamente outra coisa e você se pergunta “por que ainda estou vendo essa merda?”.

boys before friends

Acho que poderia continuar xingando umas 15 páginas enumerando os horrores. Mas, vou parar por aqui. Nem eu e nem você nós não precisamos perder nosso tempo com isso. Sinceramente, acho que fãs não se auto-promoveriam com uma história diferente da qual gostam DEPOIS DE TER CHAMADO A ATENÇÃO DA MÍDIA PARA A “VERSÃO AMERICANA DE HANA YORI DANGO”. Primeiro, aprenderia a escrever. Depois pensaria em ganhar dinheiro sobre a obra alheia.

Sim, eu fiquei chateada e estou sendo “reaça” porque doeu cara, doeu. Eu gosto muito da história de Hana Yori Dango e fiquei altamente frustrada. Chega de coisas “vagamente inspiradas” que roubam toda a estrutura de outra história e quer construir os meus valores.

A ideia é legal, segundo eles, eles querem ver mais dramas na programação americana etc e estão tentando mostrar isso. E também eles ressaltaram já no site que não é adaptação – cof, cof – já que estão tendo muitos haters. Mas, assistindo, ser um hater é praticamente inevitável.

TOP 10: Inglês Online e outros cursos mais

duolingo

Eu sei. Vocês sabem. Como todo bom viciado em internet, algum dia você se pega tentando fazer qualquer tipo de curso online. Seja para passar o tédio, ver como é ou simplesmente aprender algo novo que tenha ou não a ver com seu currículo e nível profissional ou formação. A grande verdade é que tem cada vez mais e mais e mais cursos disponíveis on line, gratuitos ou não, eles oferecerem uma infinidade de novos skills.

Essas novas habilidades que fazem tanto a diferença no que fazemos e nos ajudam a adquirir mais conhecimento para o profissional ou simplesmente para nós mesmos. Eu adoro cursos. Sejam presenciais, pagos, gratuitos, online. Sejam eles de línguas, tecnologia, algo que tenho interesse (geralmente informática e afins) ou da minha área de formação: arquitetura e urbanismo.

Vou listar abaixo, aqueles que mais me chamaram a atenção e que realmente me fazem de maneira prazerosa retornar ao site e continuar aprendendo. Também há níveis e níveis para os cursos que queremos e precisamos sim dar aqueela vasculhada na internet para encontrarmos aqueles que farão a diferença para nós.

Os quatro primeiros são para aprender inglês on line. Não são especificamente cursos, mas ajudam a aprender um pouco mais do idioma online. Já se você quiser se aventurar em curso de inglês 100% online, a Escola de Idiomas Yázigi já oferece essa opção, paga, na House of English, que você pode se cadastrar gratuitamente e ver como funciona.

Os demais que coloquei aqui apresentam vários cursos – em português e inglês – sendo necessário mais conhecimento de inglês (para os em inglês) ou um pouquinho mais de força de vontade – caso tenha algum curso de seu interesse:

TOP 10

1) Duolingo (inglês online grátis e mais alguns idiomas)

duolingo

Indicação de uma amiga. Desde o nível básico de inglês, espanhol, italiano, francês e alemão até coisas mais complexas com uma aprendizagem que mais parece um joguinho. Com uma plataforma divertida e animada, ele até cobra de você quando você não está se dedicando a aprender. Um amor.

2) Livemocha

livemocha

Vários idiomas – até coreano – online grátis. Assim como Duolingo é uma plataforma diferente e divertida para aprender seja qual idioma for.

3) Memrise

memrise

Tem a mesma pegada que o Duolingo e apresenta os mesmos idiomas – inglês, italiano, espanhol, francês e alemão, e é mais focado em vocabulário.

4) My English Online

myenglishonline

Plataforma do Programa Inglês Sem Fronteiras que oferece curso de  inglês online, que é uma iniciativa do Ministério da Educação (MEC) e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) destinado aos alunos de graduação e pós-graduação, de instituições de ensino superior públicas e privadas brasileiras (sic).

5) Microsoft Virtual Academy

microsoft

Cursos online de TI e outros de informática – bem específicos. Para desenvolvimento de aplicativos, programação, windows azure, windows server etc. Alguns são em inglês, outros já estão traduzidos para o português.

6) Plataforma edX 

edx

Cursos oferecidos pelo MIT, Harvard e outras grandes universidades dos EUA, apresentam cronogramas, provas finais (questões múltipla escolha) e dão certificado. Completamente gratuitos. Em inglês. Este é o meu preferido.

7) Veduca

veduca

Os cursos no Veduca têm a vantagem de serem em português e oferecem certificados, além de terem várias universidades de renome – seja MIT, Harvard, Oxford, USP, UFSC – também.

8) Coursera

Coursera

Bem parecido com Veduca, mas me parece que apresentam mais cursos de muitos mais universidades tipo de Taiwan, Pequim, Singapura. Uns apresentam certificados e outros não. Em português.

9) Udacity

udacity

Cursos em inglês com ou sem certificado. Voltado também para TI, desenvolvimento de aplicativos e outros.

10) Code Academy 

Codecademy

O Code Academy apresenta cursos de linguagem de programação que os mais interessados nessa área devem dar uma olhada. Em Inglês.

PARA ATIVIDADES COMPLEMENTARES

Se você está afim de encontrar cursos aleatórios com certificados para apresentar nas Atividades Complementares da sua faculdade – e sei bem como é isso -, você pode encontrar cursos online no site do Bradesco (cursos básicos na área de informática e finanças) alguns outros na Escola Fundação Bradesco e na FGV Online cursos gratuitos de Finanças Pessoais e Sustentabilidade.

Esses são os que mais me prendem. Os cursos da plataforma edX apesar de serem em inglês são muitos bem feitos, não tão difíceis e com ótimos professores (claro né).

Eu mesma já me inscrevi em vários, alguns de história da arquitetura, um super completo sobre a China e agora em abril vai começar um sobre a Coreia (Política Internacional na Península da Coreia). Que nem eu nem você, amantes da cultura coreana podemos perder não é mesmo?

E aí! Com tantos e mais tantos cursos divertidos e que não requerem tanto nosso tempo, por que você ainda não se inscreveu em nenhum? Aconselho a se aventurarem nessas páginas e ver se tem algo que os interessa. Todos os que apresentei aqui são de ótima qualidade e plataforma!

E vocês que são como eu que estão sempre procurando por novas modalidades e variedades de aprendizado comentem aí também sobre os que vocês mais gostam, outros que não citei de inglês entre outros. O importante é compartilharmos sempre: o aprendizado, as formas de aprender e os que mais se destacam em ensinar.

TOP 15: aplicativos coreanos

Hoje apresento mais um TOP! Agora TOP 15 para vocês e é a vez de aplicativos coreanos. Como a maioria das pessoas agora possui smartphone virou febre instalar e testar novos aplicativos toda hora. Eu por exemplo adoro procurar aplicativos coreanos! Fiz uma lista com os meus queridinhos mas não está por ordem nenhuma apenas agrupei os que têm funcionalidades parecidas, vamos conferir?

Acabei tirando da minha lista as seguintes redes sociais coreanas: Me2day, Cyworld Global e Yozm por já terem noticiado oficialmente – uma pena – que até a metade do ano serão descontinuadas (me2day era minha favorita por se parecer muito com o twitter). As redes sociais coreanas são todas com lindos layouts e várias funcionalidades, sempre fico muito encantada com elas e é claro me cadastro na maioria!

Os links diretamente no nome do aplicativo são remetidos à Play Store e ao lado para o Itunes.

1. DAUM (Itunes aqui)

Daum App Icon

Daum é um site coreano de conhecimento obrigatório para todo mundo que tem curiosidade sobre notícias, email, vídeos que estão sendo divulgados no momento. Esses grandes sites de notícias e tudo que mais podemos procurar além de se cadastrar em email e através delas já termos acesso à redes sociais e blogs como Google, MSN, Yahoo, e por aí vai, na Coréia temos: Daum, Naver e Nate.

Ao se cadastrar no Daum você tem direito a um blog como meublog.daum.net e o Nate nos dá acesso a famosa rede social Cyworld *-* tem várias funcionalidades. Não vou colocar na lista os aplicativos do Naver e do Nate porque são parecidos com o Daum. Daum, Naver e Nate todos têm uma infinidade de aplicativos específicos voltados para música, blogs, webtoon, Tv, vídeos, email e até mesmo dicionário que separei abaixo.

2. DAUM WEBTOON (Itunes aqui)

Daum Webtoon App Icon

Webtoon são quadrinhos postados na internet em espaços destinados a eles. Eles têm as mesmas características de fanfics, são postados por amadores (ou não) tendo cada dia ou em um dia da semana um capítulo. Apresentam a particularidade de serem quadrinhos horizontais geralmente longos.

O legal é se divertir com os excelentes desenhos e técnicas usadas e tem para todos os gostos! Estou na empreitada de tentar traduzir um webtoon, mas são muuuitos capítulos. Recomendo também o Webtoon Naver e o Webtoon Box que traz 22 portais de webtoon (como Daum e Naver) para visualizar no mesmo aplicativo.

3. NAVER DICTIONARY (Itunes aqui)

Naver Dictionary App Icon

Um dicionário para nós que nos aventuramos a aprender ou a usar os aplicativos coreanos é muito necessário. Também temos o Daum Dictionary para que quiser conferir. Mas desvantagem deles é que eles são completamente em coreano. O 영한/한영사전 / English Korean Dictionary & Translator Box é um Dicionário Inglês-Coreano, é possível utilizá-lo offline. Este é o único aplicativo de um programador do Viet Nam. Mas recomendo, pois é um dos melhores dicionários.

4. 네이버 뮤직 – NAVER MUSIC (Itunes aqui)

Naver Music App

Este e os próximos 3 aplicativos são bem parecidos. Eles são um canais de música onde é possível comprá-las em mp3, ouvir um pouco de cada música, ver as TOP 100, TOP 10 do momento e conferir os novos álbuns de todos os gêneros. É realmente interessante para quem quer ficar antenado com as músicas coreanas do momento.

O aplicativo do Naver Music é lindo, adoro o ícone brilhante e verde com um play, ganhou meu download só por isso (rs). Mas é tão bom quanto Olleh e MelOn. Porém, não achei o aplicativo no Play Store.

5. OLLEH CS (Itunes aqui)

olleh app icon

Este é o meu preferido de música coreana. No site deles pela internet >>> aqui é possível comprar as músicas em MP3, mas não sei se é possível para quem não é de lá, mas para se cadastrar eles permitem pelo twitter ou facebook e te redirecionam para uma tela de cadastro de nome, depois aceite dos termos de compromisso, mas você tem que preencher um cadastro mais completo para ter acesso ao serviços disponíveis.

Ainda estou na tentativa de comprar uma música. É meio complicado para quem não entende absolutamente nada de coreano, mas eu acho um diferencial eles permitirem ao comprar fazer download pelo celular e no computador estilo itunes. O preço do Mp3 no Olleh é 600 wons, mais ou menos, R$1,32 (acho eu). Mas o legal não é comprar e sim ouvir um pouco de cada música (1 min), saber as novidades, as músicas de cada álbum, as letras em coreano etc. No entanto, o novo visual do aplicativo dificultou o uso. Eu já andei fuçando sobre o novo álbum do 2NE1 lá, vejam só >>> aqui.

6. MELON (Itunes aqui)

melon app icon

MelOn é parecido com Olleh. Também dá para ouvir um pouco de cada música (1 min), saber as novidades, as músicas de cada álbum, as letras em coreano etc. Traz um visual parecido com a versão antiga do aplicativo do Olleh que é bem mais fácil de usar.

No entanto, o site do MelOn e o cadastro são mais complicadinhos de fazer. Mas vale a pena dar uma olhada. Ah, também não consegui achar no Play Store.

7. GOREALRA (Itunes aqui)

Gorealra App Icon

Rádio coreana online da SBS. Tem programação de músicas conforme o horário. Também é possível escolher que tipo de música se quer ouvir, todas coreanas é claro. Achei bem legalzinho, mas só funciona bem no wi-fi.

8. KAKAO TALK (Itunes aqui)

KAKAO TALK APP ICON

Bom, um aplicativo como LINE e outros aplicativos de messenger é o Kakao Talk com as mesmas utilidades dos outros. Eu encontrei um aplicativo coreano como Tinder de conversas para encontros, o pang pang talk, mas não consegui fazer minha inscrição devido a um erro no número de celular e por isso somente não entrou na lista.

9.MYPEOPLE MESSENGER (Itunes aqui)

MYPEOPLE APP ICON

Exatamente como o Kakao Talk o Mypeople Messenger foi desenvolvido pela Daum e é uma fofura. O diferencial é que com uma conta só você pode acessar pelo celular e também pelo computador. Você faz o download do mypeople para o computador e pode enviar mensagens online do seu mypeople diretamente para o celular/computador dos outros usuários!

Os stickers que agora viraram febre no facebook são velhos conhecidos dos coreanos e no mypeople os stickers são os mais lindos e fofos e tudo de graça. Ah, também em todos os emails coreanos você consegue adicionar stickers facilmente! Uma fofura.

9. WEPLE MONEY – 위플 가계부 무료 (Itunes aqui)

weple money app icon

Este é um aplicativo finanças. Gastos, pagamentos, poupança, valores do cartões de crédito etc. são inseridos no aplicativo que faz um balanço bonitinho dos seus gastos com direito a gráfico e tudo. Ele ainda te pergunta se você gastou alguma coisa no dia etc. Lindo porquinho rosa. Não achei na Play Store, uma pena.

10. CYWORLD (Itunes aqui)

Cyworld App Icon

Cyworld é uma rede social coreana de forte impacto no país, dizem que praticamente 90% dos jovens coreanos têm Cyworld e você está fazendo o que aí sem o seu perfil nesta rede?! Atualmente eles estão mudando a cara do cyworld e está ficando mais formal e parecido com o facebook como uma página sua que você divulga o que quiser. Ainda tem a versão antiga onde o seu cyworld é um pequeno livro, onde visitantes deixam seus recados, você pode manter um “diário”, tem um buddypoke estilo aqueles que surgiram no orkut.

Você também pode personalizar seu perfil com música e papéis de parede, mas tem que comprar. No entanto, está cada vez mais difícil acessar a versão antiga, que para mim era mais interessante. Song Joong Ki tem essa rede social e só para vocês darem uma olhada na versão antiga, vejam >>>>cy do Joong Ki

Podemos criar álbuns de fotos, adicionar fotos ilimitadas, criar grupos, fóruns, pastas etc. São muitas as funcionalidades. Você pode criar um email no Nate e eles já tem fornecem um perfil no cyworld com login simultâneo.

Se vocês quiserem dar uma olhada o meu está aqui: q.cyworld.com/ALFNC27K ainda não aprendi a personalizar a url então está assim. Meu “minihome” como eles chamam: aqui.

12. CYMERA (Itunes aqui)

cymera app icon

Cymera foi criado com editor de fotos para postar diretamente no cyworld, ele pede que você tenha uma conta no cyworld mas dá para salvar na galeria de fotos do celular também. É um aplicativo engraçado pois dá para distorcer a foto, colocar perucas e acessórios na foto, fazer ficar mais sorridente, colocar cílios e outras coisas doidas além dos filtros comuns, brilho etc.

13. DAYBE (Itunes aqui)

Daybe app icon

Essa é uma nova rede social SNS estilo Path acho eu. Você tem um limite de 50 amigos e adiciona “pensamentos, fotos, lugares, comida, música e filmes” diariamente, tem um visual bonito e me pareceu bastante com aquela rede social – que até agora não encontrei – que a Park Shin Hye usa em The Heirs. Sou apaixonada pelos layouts desses aplicativos coreanos!

14. BETWEEN (Itunes aqui)

Between App Icon

Between é um aplicativo de casal. Apenas você e a outra pessoa entram e compartilham datas, fotos e conversam entre si com stickers também etc. Para iniciar é necessário email e que informem os números do casal e baixem os dois o aplicativo. O visual do aplicativo é lindo.

15. POOQ (Itunes aqui)

pooq app icon

Este aplicativo é de TV online. Ainda não vi nada significativo, mas tem o live e vários programas e doramas. Vale a pena dar uma conferida, no entanto o disponível ainda é só em coreano mesmo. Não achei o Pooq na Play Store.

BÔNUS:

Temos aplicativos Kpop! Como BIGBANG App, 2NE1 App e B1A4 e por aí vai…

Bigbang App Icon

2ne1 app icon

Eu também andei me divertindo criando um app para o Blog! Veja como ficou:tudoasfixia.com/app e você pode baixar diretamente colocando no seu navegador de celular: app.vc/blogtudoasfixia. Mas acabei achando um site que faz melhor! Então prevejo já mudanças!

Por que dramas fazem isso?

Como seguidora do Dramabeans – Desconstruindo dramas e cultura pop, não poderia deixar de dizer que fiquei curiosa e contente com o Ebook (Edição Kindle) que está disponível na Amazon sob o nome “Why do dramas do that? – Part 1” das autoras (creio eu) Javabeans e Girlfriday pelo preço de $1.86 (dólares). Tem 4 páginas de preview.

Eu achei tudo lindo e planejo comprar! Uma porque adoro o estilo da escrita das duas(?) escritoras e sempre que dá estou lá bisbilhotando as opiniões delas sobre os dramas. Elas são sempre boas no que fazem, muitas vezes estou com alguns pensamentos sobre alguns dramas e quando me deparo com as opiniões delas tenho um leque muito maior para refletir sobre, coisas que a gente se pega dizendo “nossa não tinha pensado sobre isso”.

Gostei também, principalmente da ideia, dessa publicação ser referente ao “nosso mundo” (doramático) e apresentar excelentes propostas de discussão. O que nós fazemos em nossos blogs tem um cunho mais profundo do que mera opinião dada. Haja vista a explosão de sites específicos com legendas e disponibilização de vermos online, onde poderíamos citar DramaFever, Viki, GoodDrama e os youtubbers engraçados “Eat your kimchi“.

O livro (publicado em outubro do ano passado! 2013) apresenta um esquema “perguntas e respostas” como por exemplo “por que o Hallyu é contagioso?” e outras perguntas relacionadas aos dramas “O que é drama? Drama meta” etc.

why do dramas do that ebook

A descrição do ebook na Amazon está abaixo, onde faço uma tradução chinfrim:

“Dramas de televisão coreanos não são apenas para a Coréia nunca mais – sua popularidade explodiu em todo o mundo, pegando seguidores fanáticos e viciados no mundo inteiro. Talvez seja o valor da produção brilhante ou a narrativa acelerado, viciante de dramas como Boys Over Flowers, Coffee Prince ou Secret Garden . Talvez sejam os laços familiares que arrancam as cordas do coração ou o pathos de um amor duramente conquistado que soa verdadeiro com a sua universalidade.

No entanto, para todos os temas universais em jogo, inevitavelmente, algumas coisas se perderão na tradução. Como por que heroínas que sempre são enganados dentro e fora de casa, ou por que os heróis vão lutar com unhas e dentes para  conquistar suas amadas, apenas para mandá-las embora “para seu próprio bem”. Ou talvez seja a própria linguagem que não esclarece esse abismo cultural, ou por que é que ninguém chama um ao outro pelo nome? Porque todo mundo está sempre incentivando o outro a ir “combater” (fighthing!!!)?

As autoras criaram o popular blog Dramabeans.com para explorar estas perguntas e muito mais, onde desconstroem dramas coreanos e cultura pop diariamente. Elas levam sua irreverência como marca registrada para “Por que Dramas fazem isso? Parte 1”, onde respondem a essas perguntas e exploram as alegorias mais comuns que surgem a partir de drama a drama. Uma leitura obrigatória para qualquer um que já tenha caído de cabeça em um vício de dramas, intrigado com uma virada história, ou já se perguntou : “Por que dramas fazem isso? “”

E ae gostaram? Vou dar um conferida e depois posto minhas percepções do livro, que acham?

PS.: Meu site está ficando fora do ar por alguns minutos. Estou tentando entrar em contato com a hospedagem e ver o que é isso. :(

Sobre fantasmas e pessoas assustadoras

É um assunto em voga nos doramas ultimamente fantasmas e pessoas assustadoras. Estava assistindo Two Weeks, Good Doctor, Master’s Sun e Who are you, e nas falas dos personagens principais captei várias vezes esses termos. Todos eles concordam que existem pessoas mais assustadoras que os fantasmas (Master’s Sun e Who are you) e os que não acreditam em fantasmas têm medo mesmo é das pessoas que são assustadoras (Two Weeks e Good Doctor).

Fantasmas foi um tema que propiciou dois dramas distintos e belos (Master’s Sun e Who are you) e nos fez observar que partem do mesmo princípio, se tornam fantasmas aquelas pessoas que morreram de forma trágica e que “não foram para luz” ou não conseguiram se “desligar” da terra porque têm pendências pessoais a serem resolvidas, segredos a serem revelados ou entes queridos que precisam de ajuda, apoio pela perda e por aí vai. São aqueles que morreram antes de completar um ciclo ou simplesmente aqueles que merecem vagar por ter sido mau ou cometido muitos pecados. Nenhum deles acham que fantasma pode ser um ser que não teve vida algum dia. Fantasmas, claramente, são aqueles que viveram e passaram para o outro lado.

É engraçado, para nós não-orientais, perceber a facilidade com que eles brincam com o tema e conseguem extrair de um tema nefasto compreensão, emoção e sentimento. Master’s Sun lida com fantasmas como se fossem amigos da personagem principal em Who are you a personagem principal precisa ajudar os fantasmas a se desapegarem da vida terrena. Who are you lida com a questão da perda de um ente querido (e até o ponto de depois de perder alguém você passa vê-lo, o que pode ser considerado normal em traumas) e Master’s Sun lida com o “ser diferente”, o conversar com espíritos.

Em um momento em Master’s Sun e Who are you as personagens principais também dizem ou fazem referências à: “eu não tenho medo dos fantasmas, eu tenho medo das pessoas, elas sim são assustadoras”.

Ambos (os dramas e porque não a cultura oriental em si) também concordam que só se pode ver esses fantasmas se a pessoa esteve em contato com a morte, quase morreu, esteve muito tempo em coma, etc. É algo que está mais em contato direto com a realidade, causa mais verossimilhança: todo mundo já ouviu alguém dizer – quando esteve muito doente e quase morreu – que teve uma experiência como “sair do corpo”, “ver um lugar branco, pessoas de branco” e por aí vai. E por que não voltar à vida e continuar vendo isso?

As nossas novelas da 6h tratam o assunto voltado à uma doutrina religiosa (espiritismo) e a das 21h nem vale a pena comentar. Desprendido de religião, lidar com o tema traz mais possibilidades de enredo e tornam a história mais interessante, porque se prender a uma religião faz com que quem não acredite ache a história menos atraente e até mesmo pedante por parecer algo como “conversão”.

Em Two Weeks tem um episódio em especial que o personagem principal ouve gritos e vê apenas um vulto e acha que é um fantasma, mas daí ele para e percebe: “mas eu não acredito em fantasmas, eles não existem” e volta atrás era uma mulher tendo um filho… (o roteirista claramente faz uma brincadeira e expressa uma opinião sobre o assunto). Logo em um dos primeiros episódios (se não me engano no primeiro) o personagem principal diz: “o que me assusta são as pessoas que são assustadoras”.

Em Good Doctor encontramos o personagem principal dizendo uma frase semelhante. No caso de Good Doctor o preconceito com que lida é o fator que torna as pessoas assustadoras. Está claro que os vilões, as pessoas mau intencionadas e os preconceituosos são as pessoas assustadoras.

Eu realmente acho, assim como eles, que essa filosofia é válida. Vamos todos dizer: “eu não tenho medo dos fantasmas, eu tenho medo das pessoas, elas sim são assustadoras”.