30. Cheongdamdong Alice (K-drama)

A minha contribuição para esse burburinho transgressor que fez cócegas na política atual e aconteceu não só na cidade burguesinha de São Paulo, mas nas principais metrópoles com esse boom de consciência e revolução, que nada contra, eu acho ótimo; foi ficar dormindo até às 9h em dia útil e ainda sim conseguir chegar às 11h no trabalho. E ainda mais, outro dia faltei mesmo em tom decidido e fiquei em casa o dia todo de pijama e pantufas espalhafatosas torcendo por vocês, fighting!!!!

Sendo esse meu protesto silencioso. Neste momento, esqueci basicamente o que ia continuar escrevendo porque já tinha há mais de uma semana um post pela metade sobre Cheongdamdong Alice até que a bateria do meu celular acabou e não salvou nada. T.T Não preciso dizer que depois disso me veio uma grande preguiça de pensar novamente sobre o que estava dizendo.

Lembro-me que comecei discutindo sobre o tema. Algo como esse kdrama sendo uma abertura de discussão em um tema pra lá de lugar comum (conto de fadas?) onde discorre sobre questões-paradigmas como o bem e o mal, a riqueza e a pobreza, amor, traumas e questões de consciência e oportunidade.

Neste kdrama você verá a suposta “vilã” (Seo Yoon Joo) dar seus ensinamentos à protagonista sobre como sair da pobreza e conseguir marido rico. Como “vencer” na vida dado a questões que envolvem o pobre: conseguir bom emprego sem ter viajado ao exterior (tema recorrente em dramas coreanos, como se lá o que viesse de fora fosse melhor) e sem ter as relações-chave para te recomendarem a um emprego. Bom, quem nunca?

Assim o kdrama nos põem a par das dificuldades encontradas pelas mulheres pobres que alternadamente estão entre o amor e a necessidade e, querendo ou não, têm que “pensar mais nelas mesmas” e em seu futuro. Nossa principal, Han Se Kyung (Moon Geun Young), acreditava que nunca seria como Seo Yoon Joo (So Yi Hyun) usando de subterfúgios para conseguir algo ou alguém.

Mas, foi deste modo, usando e abusando do tema “os fins justificam os meios”, que Seo Yoon Joo conseguiu se casar com alguém importante e ter uma vida de rainha. Ela também era pobre e havia passado por muitas dificuldades e tinha um irmão mais novo. Han Se Kyung acreditava que “l’effort est ma force” o esforço é a minha força e tentava conseguir um emprego bom em sua área – design de moda – quando seu namorado (também pobre) resolveu terminar, depois de muitos anos juntos, sem motivo aparente, ou melhor, por causa de dívidas.

Han Se Kyung resolveu manifestar (rs) ela não poderia acreditar que: o “amor” fosse algo vencido pelas circunstâncias, ela acreditava que o amor fosse algo que “durasse” mesmo com as muitas e muitas dificuldades a serem enfrentadas; ela não podia acreditar que o dinheiro fosse uma constituição formada sobre os valores éticos e morais e que tudo se sucumbia a ele; ela não poderia nunca usar meios para conseguir o fim desejado. Também, a padaria de seu pai é “consumida” pelo mundo dos grandes mercados e é obrigado a fechá-la, uma vez que perdeu para a grande concorrência. Cheongdamdong Alice estabelece com pano de fundo o mundo capitalista e a corrida pela sobrevivência, concorrência.

Han Se Kyung entrou em crise, como todo mundo entra em um momento da vida, e resolveu ir ao inimigo e perguntar “mas por que você está bem e eu não? por que os seus “não-valores” são mais valorizados que os meus valores? por que o mundo está de cabeça para baixo?” Então o kdrama nos propõe: será mesmo que ser ruim é não ter valores? Será mesmo que todas as nossas ações sejam elas boas ou ruins não têm consequências sobre a nossa vida? Será mesmo que não se sobrevive o mais forte ou o sentimento mais verdadeiro?

A verdade é que Seo Yoon Joo também “pagou” pouco a pouco todas as suas maldades. E no final ela falou um foda-se e se decidiu por ser pobre porque já não vencia mais todos os sofrimentos e dor-de-cabeça do “mundo de ricos” só para não ser pobre. Que os idiotinhas todos se fodessem exatamente quando, depois de a terem humilhado eles dependiam dela e ela não teve dúvidas de mandar se foderem e foi o melhor final de personagem em kdrama que já vi.

É assim que é. O drama também trata bastante de “peso na consciência” e estar “em paz consigo mesmo” era algo com que todos os personagens ali envolvidos estavam procurando. Com ajuda de Yoon Joo, Han Se Kyung consegue um emprego na GN Moda. Sua superior na empresa é In Hwa (Kim Yoo Ri) é a irmã mais nova do presidente (casado com Yoon Joo), uma enjoada que “O que é uma porcaria é o seu gosto, e não o seu currículo” olhando para Se Kyung e vendo suas roupas – de pobre -. “Gosto é um acúmulo do que você vê e pensa, bem como as coisas as quais está exposta, desde o momento em que você nasceu.” Ou seja, determinismo. Abaixo, fotos da estilosa Yoon Joo.

Han Se Kyung quer entrar para o bairro rico de Seul chamado Cheongdam-dong. É lá que Yoon Joo mora assim como Jean Thierry Cha (Park Si-hoo), que é o mais novo CEO na indústria de marca de luxo. Ele volta de Paris após estudos. Ele é o ex namorado de Yoon Joo que o deixou ao ser pressionada pelo pai de Cha Seung Jo (Jean Thierry Cha).

Cha Seung Jo tem um trauma de ser deixado por mulheres gananciosas. Ele não acredita que uma mulher pode deixar o amor para ir ao encontro de ambições. É ele também que irá se encontrar várias vezes com Han Se Kyung por acaso e ambos se tornarão próximos, mesmo ela sem saber “quem” ele é. Eles acabam se apaixonando e veja o problema: ele se apaixona por ela, como ela era antes (Candy) e agora, ela está como Yoon Joo – quem ela odeia.

Se Kyung começa, então a seduzir Jean Thierry Cha como Yoon Joo. Cha, apesar de sua linha de negócios, ele sente um forte ódio contra as mulheres que se casam por dinheiro e estão obcecados com grifes. Mas ela o ama de verdade e eles contam um para o outro suas situações… ela desiste de ser a pessoa que ela queria ser como Yoon Joo, e decide fazer do seu jeito, porém voltar a ser Candy como era não tem mais como. No fundo, no fundo, todo mundo tem seus segundos interesses e não nos surpreende mais… que as pessoas nos decepcionem ou que decepcionemos os outros.

Alice no País das Maravilhas é a relação entre Se Kyung e Cheongdamdong. Várias vezes também se referem ao “coelho branco” como o homem que será capaz de levá-la à Cheongdamdong. É um lindo kdrama, dá vontade de chorar. Vamos.

Deixe uma resposta